Sábado , 24 Fevereiro 2018
Home / Destaque / Médico que receitou para paciente “diminuir uso de celular” fala sobre o caso.

Médico que receitou para paciente “diminuir uso de celular” fala sobre o caso.

Médico de São Raimundo Nonato – PI que pediu para que paciente diminua uso de celular e receita viralizou na internet, e causou problemas para o mesmo, já que a noticia virou tem nacional abordado até mesmo pela globo News.

Para amenizar o impacto da sua prescrição o médico diz que foi a primeira vez que fez a recomendação por escrito. Paciente de 10 anos desenvolveu anemia devido à má alimentação por uso excessivo do celular.

O médico Francisco de Castro atende inúmeras pessoas diariamente, há 39 anos, mas pela primeira vez, na última terça-feira (16) precisou recomendar por escrito que uma paciente reduzisse o uso do celular. Isso porque a garota de apenas 10 anos, moradora de São Raimundo Nonato, Sul do Piauí, desenvolveu uma anemia por não estar se alimentando direito. O motivo? Uso excessivo do smartphone.

“Isso está adoecendo os jovens, prejudicando nossa sociedade. A mãe chegou ao consultório se lamentando que a menina não comia direito, não dormia, porque ficava o tempo todo no celular, então precisei pela primeira vez fazer isso por escrito”, disse o médico.

Fernanda é mãe de Sofia,de 10 anos de idade. Segundo ela, apesar da pouca idade, a menina é “viciada em celular”. Fernanda conta que a criança é capaz de passar o dia inteiro com o aparelho nas mãos e por conta disso desenvolveu anemia.

Há dias, inclusive, onde a menina, que ganhou o celular quando tinha oito anos de idade, fica até as 4 horas da madrugada usando o aparelho telefônico.

“Minha filha estava enjoada, fraca, levei ela para fazer exames e descobri que ela estava com anemia e o motivo principal disso é porque a Sofia passa quase o dia todo com o celular e acaba não querendo se alimentar direito”, relata a mãe.

A mãe diz que achou “muito interessante” a recomendação do médico, que percebeu que, além ingerir de remédios, a menina precisava mudar o comportamento para tratar a anemia.

“Fiquei muito agradecida com a atitude do médico, ele tem 70 anos e percebeu isso. Como minha filha viu que foi escrito na receita que ela tinha que diminuir o uso de celular, ela levou a sério e agora realmente deu uma diminuída no celular. Fiquei agradecida porque não sei como agir. O caso também ganhou repercussão na cidade e acaba que todo mundo da rua fica “fiscalizando” ela”, conta a mãe, que admite que não é um “bom exemplo” para a menina. .

“Como trabalho com vendas, eu também uso muito o celular. Faço parte de 40 grupos no Whatsapp, tenho três perfis no Facebook e também me considero viciada. Sou conectada o tempo todo”, acrescenta Fernanda.

A mãe garante que vendo as consequências do celular na saúde da filha promete que, a partir de agora, também irá diminuir o uso excessivo do aparelho telefônico.

Nomofobia

O vício em celulares já foi tema de reportagem da edição 178 da Revista Cidade Verde. Em dezembro do ano passado, a publicação falou sobre a Nomofobia, o medo de ficar sem celular, a nova doença dos tempos modernos.

A nomofobia é a dependência das tecnologias portáteis que vem tomando conta de cada vez mais lares no país. O medo de ficar sem celular hoje já é tratado nos consultórios médicos.

Portal saoraimundo.com

Veja também

Prefeito concede entrevista a TV Cidade Verde, fala sobre recomendações, afastamento. Ouça o áudio.

Nesta quarta-feira (21), o presidente da APPM, Gil Carlos, concedeu entrevista ao programa Notícias da …